Isso é loucura!

Meu pensamento sobre morar “sozinha” esta lindamente destacado no título do post, LOUCURA!

Imagem: Tumblr

Faz mais de uma semana que eu me mudei de cidade, mas ainda as coisas não estão normais. Já se passaram dias que eu mal sentava no sofá já me chamavam pra sair de novo, outros que eu passei o dia inteiro deitada esperando alguém, como o chaveiro por exemplo, e ninguém veio. Tem o problema do clima também, eu sai de um lugar onde a média nos dias quentes do inverno deve estar seus 28 graus mais ou menos, e vim para um lugar onde creio que a máxima é uns 17 graus, eu estou congelando todas as noites, ainda não aprendi a lidar com isso. E outro “problema” que ainda não aprendi a lidar é a saudade, ela é grande demais, meus pais e meu irmão foram embora a 2 dias e eu já estou com vontade de ir atrás deles, é algo surreal, mas eu sei que daqui a pouco estarei tão atolada de trabalhos que não vai ter tempo de “pensar” nessa saudade por muito tempo e morrer de depressão.

Imagem: Tumblr

Apesar de todos esses “problemas”, há também as coisas boas não é mesmo? Agora eu tenho internet só pra mim, onde eu posso abrir dezenas de abas e ninguém reclamar, só quando a internet cai ou está muito lenta, tenho tv por assinatura que eu nunca tive antes porque meu pai dizia que ia dar briga em casa por causa de cada um querer assistir uma coisa diferente, e foi o que aconteceu entre eu e meu irmão em uma semana de convivência com a tv, tenho um cartão de débito, que nem sempre é muito útil porque não rola fazer compra online, enfim, muita coisa boa como vocês podem perceber.

Imagem: Tumblr

Por enquanto todas essas coisas novas ainda estão me incomodando, de uma maneira positiva ou negativa, mas logo me acostumo. Agosto começa as aulas e toda a loucura da vida, começa a correria, as noites mal dormidas ou até os ataques de tpm quando não estou de tpm, começa toda uma vida nova em um lugar totalmente desconhecido com pessoas que eu nunca cheguei perto. Eu ainda não sei como vou reagir, se vou fazer amigos ou não, a única certeza é que se começarem a me encher muito eu choro e corro de volta pra casa… Espero de coração não fazer isso, vou começar a tomar calmantes!

Anúncios

Os dias que antecedem a mudança…

  

   Como já disse aqui antes vou me mudar e morar com a minha avó, mas a ficha não tinha caído até perceber que faltava apenas um mês para mudar de cidade, foi o momento mais desesperador até então, eu estava totalmente perdida na minha própria vida. Minha avó já vinha arrumando as coisas dela antes, mas eu não, ela disse que eu não precisava porque não ia levar tanta coisa, e que eu poderia começar faltando uma semana, mas mesmo assim, eu não sabia qual era a pouca coisa que eu deveria levar, então por dias eu sentei na minha cama e fiquei pensando o que eu ia levar, ficava olhando pro meu quarto inteiro, até para o pó acumulado embaixo da mesa, pensando o que eu realmente precisaria levar.

Quando deu uma semana para o caminhão de mudança ir buscar tudo na minha avó eu não perdi tempo, comecei o quanto antes para ter certeza que daria tempo de pensar em tudo e eu não esqueceria nada, mas não foi bem assim… Primeiro decidimos que colocaríamos em caixas, mas elas ficaram pesadas demais por causa de alguns livros, então nós embalamos os livros em papel craft e guardamos o resto em caixas, até ai deu certo, mas nessa de trocar de caixa pra papel esqueci de levar algumas pastas e outras coisas que eu realmente queria ter enviado com a mudança porque são pesadas, mas não deu certo e tentaremos enfiar tudo no carro, Deus me ilumine!

Depois de toda essa confusão de mudança começou o momento: deixarei meus amigos e eles vão se esquecer de mim! Não que isso vá acontecer, espero que não, mas eu estava me sentindo mais ou menos assim, até que eles me surpreenderam e me fizeram ter certeza que quando eu voltar nas férias nós vamos nos reunir e será como sempre. Nunca fizeram surpresa pra mim, no sentido de festas e essas coisas, e eu já havia participado de algumas, então eu sempre pensava “será que um dia vão fazer isso pra mim?” e todo aniversário eu esperava que alguém fizesse algo, eu tinha uma esperança, mas não acontecia, e com o tempo essa esperança foi diminuindo, sumindo, até que, quando eu menos esperava, aconteceu! Eu tenho uma teoria que se você merece alguma coisa, essa “coisa” vai acontecer para você no momento necessário, no momento de maior esperança, mas no momento que você menos esperar e minha última “semana” foi exatamente assim…

Começamos por terça feira, me encontrei com meus amigos da casa de um deles, a gente riu demais, foi muito bom, e ali eu achei que seria a ultima vez que eu veria eles, então abracei todos e fui embora, mas apesar de tudo eu estava chateada porque não estavam todos ali, uns viajando, outros não podiam e enfim. Passei quarta e quinta pensando o que eu faria para ver os que eu não tinha visto na terça, até que minha amiga pediu para que eu a acompanhasse até a casa de um outro amigo para pegar um livro emprestado, era uma das pessoas que eu queria ver, então aceitei. Quando chegamos lá uma menina falava muito alto, muito mesmo, e eu conhecia de alguma forma aquela voz, só que sou a pessoa mais lerda pra ligar a voz a pessoa, depois de um tempo tudo ficou em silêncio e meu amigo apareceu, nos abraçamos e ele convidou a gente para entrar e então quando entramos na casa do meu amigo: SURPRESA!!

Na verdade foi um “eeeh” porque eu dei de cara com o meu amigo, e acho que ele não estava esperando também, então foi um susto+surpresa e eu respondi um “eeeeh” de volta, e isso foi só o começo, passamos as horas seguintes rindo e falando besteira, eu sai com a cabeça doendo de tanto rir, e os meus amigos que faltava eu ver estavam lá, o que foi maravilhoso e pude abraçar e me despedir de todos! Essa semana vou ver a minha amiga que não estava na cidade e ai eu vou estar 100% pra ir “tranquila”.

Hoje, 08/07 quarta feira, eu estou 100% ansiosa para a viagem e a mudança, sabe aquela teoria que se temos amigos temos tudo? Bom, não sei se temos tudo mesmo, mas a maioria das coisas nós temos, e também sei que todos dizem isso, pois cada pessoa tem seus melhores amigos, mas os meus amigos são os melhores do mundo!

Livro: Morando Sozinha – Fran Guarnieri

Morando Sozinha é o livro de Fran Guarnieri, blogueira mineira que possui dois blogs: Morando Sozinha e um pessoal. Quando eu disse o nome do livro para a minha amiga ela achou que era um livro de auto-ajuda, e para mim foi exatamente isso…

wp-1452041979329.jpg

Com 160 páginas (contando todas as folhas como sempre) e divido em 7 capítulos, é o livro perfeito para você, sendo menina ou menino, que pretende morar sozinho um dia, ou vai passar por isso agora, e não tem a mínima ideia por onde começar. A Fran escreveu várias dicas, desde o que é realmente necessário no seu novo apartamento até como lidar com a solidão, o que apenas lendo superficialmente parece ser coisa bem simples e fácil de se resolver, mas você sabia que muita gente desiste de fazer uma faculdade por ter medo da solidão que irá sentir? E que ter uma cama, não só o colchão, faz uma grande diferença no seu dia a dia?

O livro, que em partes pode ser também chamado de guia ou manual, tem a capa rosa com bolinhas e um cheiro acolhedor (pelo menos para mim), e é cheio de detalhes fofos, bem a cara da Fran, o que fez com que eu imaginasse ela lendo o livro para mim (não sou louca gente, apenas assisto demais aos vídeos dela). A linguagem usada faz com que você sinta que  ela esta conversando com você durante todo o livro, como se ela estivesse na sua frente, contando acontecimentos engraçados que ela já viveu ou até desagradáveis, como ter que aguentar pessoas que não tem noção.

Imagem: melanelago.com.br

Porém, se você esta naquele momento grana zero, pais não querem adiantar a mesada ou sua vó já te deu seu presente de aniversário em dinheiro, você pode acessar o blog da Fran! O blog foi criado em 2012, um pouco depois dela começar a morar sozinha, então possui várias dicas com muito fundamento, de uma pessoa que sobreviveu a vários tipos de problemas logo que saiu da casa de seus pais com 18 anos, mas você não precisa sair necessariamente com essa idade ok?

Ah, explicando o que eu disse no começo, o livro para mim serviu muito como auto-ajuda, não, o livro não tem aquelas frases do tipo “acredite em seus sonhos, eles podem ser realizados”, mas possui frases do tipo “olha, se você não tirar o lixo da cozinha, sua casa vai começar a feder”, o que parece bobo, mas são coisas que eu precisava ler para firmar um pensamento já existente ou esclarecer dúvidas que soariam muito idiotas se ditas em voz alta. Agora eu sei por exemplo que eu preciso MUITO de uma assadeira para bolos quando eu for morar sozinha e que o pegador de sorvete da minha vó não será tão usado no momento… Eu acho.

Vou morar sozinha… ou quase isso!

aa

Imagem: Tumblr

SIM, VOU MORAR (QUASE) SOZINHA! Em julho vou me mudar porque vou fazer faculdade em outra cidade e tudo mais, e isso é um enorme passo a ser dado, é um caminho completamente desconhecido a ser enfrentado e um sonho a ser realizado.

Eu moro na mesma casa desde que nasci, meus pais construíram a casa logo que casaram, nunca mudei nem de quarto. Então é um momento completamente novo na minha vida, eu vou mudar de casa, de cidade, e morar quase sozinha! Digo quase sozinha porque terei a ilustre presença de minha avó, que vai dividir apartamento comigo, e tenho tios que moram na cidade, mas por conta da faculdade e de coisas adicionais que vão acontecer com o tempo eu vou ter que me virar, vou ter que pegar ônibus (nunca peguei um ônibus sozinha), vou ter que andar muito, aprender a usar meu dinheiro com mais consciência e tudo mais.

Sei que não sou a unica que esta passando por isso no momento, muitas pessoas já estão vivendo essa vida ou vão começar, pode ser intercâmbio também, mas cada pessoa vê esse momento com um pensamento diferente, e o meu pensamento é o melhor que se pode ter da coisa. Eu sei de todas as dificuldades, sei que tenho muita coisa pra enfrentar ainda, mas eu estou realmente otimista com tudo, e penso que todos deveriam ser pelo menos um pouco assim…

“Nossa, é uma cidade nova, você vai se sentir sozinha!”

Quando você mora junto com a sua família você precisa de momentos sem ninguém, precisa de momentos onde você tem apenas você, porque é uma forma de descansar a mente de todos os problemas adicionais além dos seus, mas quando você mora sozinha, ou sozinho, você vai sentir falta de momentos onde todos se reúnem para comer, jogar conversa fora ou simplesmente de berrar um “mãaaae” quando estiver com preguiça ou precisando de ajuda. Antes de descobrir que a minha avó iria comigo eu comecei a sofrer só de pensar, antes de dormir parava para pensar que “o dia do adeus” estava um pouco mais perto, que eu iria embora, mas as minhas amigas continuariam se vendo e conversando, que meus amigos continuariam se reunindo aos fins de semana.

Porém, depois de dias pensando nessas coisas e entrando em pânico eu comecei a pensar que sim, as minhas amigas vão continuar se encontrando, mas quando eu vier para cá elas ainda estarão aqui e eu poderei sair com elas, que sim, meus amigos vão continuar se reunindo nos fins de semana, mas quando eu vier pra cá eu posso tentar me reunir com eles também, e que não existe muito “o dia do adeus” hoje em dia, hoje se você precisar conversar com uma pessoa tem o whatsapp, iMessage e trocentas redes sociais, se precisa ouvir a voz de alguém você pode muito bem ligar para ela (até um 9090 pode ser aceito as vezes) e se seu caso for muito desesperador e você precisa ver a pessoa, ouvir a voz dela e conversar existe Skype, Facetime, chamadas de vídeo e muitas outras coisas!

Sua cidade vai permanecer no mesmo lugar, ela não vai sumir ( só se ocorrer um furacão, tornado, terremoto e etc.), você pode voltar pra casa sempre que puder e for preciso, cartas ainda existem e fazem aquela pessoa que esta longe ficar mais perto de um jeito mais íntimo, e com tantas formas de locomoção atualmente, você vai achar uma maneira para voltar pra casa.

Então, se você esta passando por essa situação de mudança e esta entrando em pânico, por favor, relaxe! Não é nem um pouco desesperador, ok? A cidade é nova, mas você pode conhece-la. A casa é nova, mas você pode ir deixando ela mais aconchegante com o tempo. As pessoas são diferentes, mas sempre tem alguém que combina com você, você apenas pode não ter encontrado ela ainda. Seus amigos, se verdadeiros, continuarão seus amigos, seus familiares serão sempre seus familiares, sua casa, seu quarto, sua cidade não vão sumir!

Vai de mente e coração aberto, lógico que você não precisa entrar em todos os projetos, se envolver em todas as ações, mas qual vai ser a “graça” se não participar um pouco? Tudo tem seu tempo, tudo pode acontecer, mas não deixe que o medo desse “tudo” não te deixe viver!